domingo, fevereiro 25, 2007

Dualidade

Philosopher in Meditation painted byRembrandt van Rijn, 1632


é neste sentir
do ir e do voltar
do chorar e do rir
do odiar e do amar

que vejo



vejo que quero ir
mas também voltar
quero chorar
e fartar-me de rir
odiar e amar

pois quero
sentir

às vezes
quem me dera
não ser alma
não ser pensamento
não ser carne
para não sentir



não sentir
o que quero
mas que sinto
não pensar no que amo
mas que penso
e deslizar
por momentos
noutro mundo



poder sentir
um mundo
sem sentimentos

pleno de nada
vazio de tudo
e no fundo
encontrar
um desmentível
verdadeiro ar


[era pois viver uma morte]

1 comentário:

Té § [Pi]menta =) disse...

samu, tenho-te a dizer q escreves mto melhor q muitos poetas! :) bjinhoo ***